banner-site-jmp

Dia Mundial dos Pobres

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×
“Convido a Igreja inteira e os homens e as mulheres de boa vontade a fixar o olhar, neste dia, em todos aqueles que estendem as suas mãos invocando ajuda e pedindo a nossa solidariedade. São nossos irmãos e irmãs, criados e amados pelo único Pai celeste”.
(Mensagem do Santo Padre Francisco para o I Dia Mundial dos Pobres)

dia-mundial-dos-pobres-05607272

Uma data especial, com iniciativas concretas para celebrar o Dia Mundialdos Pobres. Essa é a proposta do papa Francisco, cuja inspiração nasceu logo após o Ano Santo da Misericórdia, em 2016, e que será celebrado no próximo domingo, dia 19 de novembro. “Não amemos com palavras, mas com obras” é o tema para essa primeira edição do Dia Mundial dos Pobres, explicado pelo próprio papa Francisco em sua Mensagem. “Meus filhinhos, não amemos com palavras nem com a boca, mas com obras e com verdade” (1Jo 3,18). A prática do amor ao próximo, sobretudo o pobre, conforme o pontífice, é indispensável porque foi Cristo o primeiro a amar, dando-se totalmente. “Um amor assim não pode ficar sem resposta”, diz ele em sua Mensagem.

Celebrar o Dia Mundial do Pobre, conforme Francisco, deve ser um compromisso permanente da Igreja, porque essa atitude nasceu nas primeiras comunidades cristãs, quando os apóstolos assumiram o serviço de assistência aos pobres. O serviço aos pobres é indispensável aos cristãos, de acordo com o papa, porque essa prática tem a capacidade de transformar os corações. A caridade, porém, não deve ser apenas uma obra de voluntariado, uma prática semanal, mas um estilo de vida. Ele pede que essas experiências sejam a causa de abertura de um verdadeiro encontro com os pobres e que deem lugar a uma partilha verdadeira.

“Somos chamados a estender a mão aos pobres, a encontrá-los, fixá-los nos olhos, abraçá-los, para lhes fazer sentir o calor do amor que rompe o círculo da solidão. A sua mão estendida para nós é também um convite a sairmos das nossas certezas e comodidades e a reconhecermos o valor que a pobreza encerra em si mesma.” (Papa Francisco)

Deixe uma resposta